ÍconePress

PRESIDENTE DA ACRISMAT SE REÚNE COM MINISTRA DA AGRICULTURA E DISCUTE CRISE

Audiência teve a participação do Presidente da ABCS,  secretário de Política Agrícola, e do presidente da Frente Parlamentar da Suinocultura

Com objetivo de mostrar e buscar soluções para superar o cenário de crise que vive a suinocultura de Mato Grosso e do Brasil, a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), ao lado da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), se reuniu na manhã desta quarta-feira (26.10), em Brasília, com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. Na oportunidade, os representantes do setor solicitaram medidas emergenciais para minimizar os efeitos causados pelo alto custo de produção e baixos preços pagos aos suinocultores.

Na audiência, realizada de forma híbrida, participaram além das lideranças e representantes da suinocultura como o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, o secretário de Política Agrícola do Mapa, Guilherme Bastos, o secretário de Comércio e Relações Internacionais, Orlando Leite e o deputado federal e presidente da Frente Parlamentar da Suinocultura, Covatti Filho. O presidente da Acrismat, Itamar Canossa, contou que além das medidas em curto prazo, a Pasta pediu sugestões de medidas que evitem novas crises em longo prazo.

“Solicitamos a prorrogação do prazo de pagamento dos custeios pecuários em um ano conforme Manual de Crédito Rural. A ministra afirmou que é uma solicitação plausível e que pode inclusive incluir parcelas já vencidas, para dar um fôlego imediato para os suinocultores. Além do pedido da reativação da linha de crédito de custeio, direcionada para a Retenção de Matrizes Suínas e a concessão de limite de crédito de R$ 2,5 milhões por beneficiário”, afirmou.

Já em relação aos custos de produção, que dispararam nos últimos meses devido à alta nos produtos utilizados na alimentação dos animais, como o milho, as associações solicitaram a manutenção da isenção das alíquotas de contribuição incidentes na importação do milho (PIS/COFINS) até dezembro de 2022.

“Neste ponto a ministra sugeriu ainda que cada associação estadual se reúna com os governos estaduais e negociem a possibilidade de haver uma redução, mesmo que momentânea, para toda a cadeia da suinocultura, como forma de amenizar o impacto dos tributos na comercialização da proteína. É um trabalho que a Acrismat já realiza em Mato Grosso e já abriu conversas com o governo do Estado para encontrar uma solução para auxiliar os produtores neste período de crise”, pontuou.

Crédito imagem: SECOM Governo Federal

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email