ÍconePress

Novas rotinas em casa trazidas pela pandemia pedem cuidados redobrados com acidentes elétricos

Casas e apartamentos se transformaram em escritório, escola e até play ground; com mais pessoas e novos equipamentos, as famílias devem atentas para evitar incidentes

Home office, atividades escolares desenvolvidas mais dentro de casa que na escola e restrição para as saídas de lazer fizeram das residências o principal lugar frequentado pelas famílias nos últimos 12 meses. Com mais pessoas em casa é preciso se atentar a um assunto muito importante: energia elétrica. Não estamos falando apenas do aumento no consumo, mas principalmente do uso seguro e consciente para evitar acidentes.

A mudança na rotina motivou muitas pessoas a comprarem equipamentos para tornar o trabalho em casa e os momentos de lazer mais adequados. Ar condicionado, ventiladores, computador, impressora, eletrodomésticos e eletrônicos foram incorporados à casa e a inclusão deles requer cuidados básicos como a avaliação da capacidade de carga da rede para evitar sobrecarga, curtos-circuitos e incêndios. O uso correto dos equipamentos também evita choques e acidentes mais graves.

Anuário divulgado pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel) no mês passado aponta a ocorrência de 1.502 acidentes de origem elétrica em todo o País em 2020 (sendo 764 fatais), redução de 9,6% em relação à quantidade contabilizada no ano anterior, de 1.662. No levantamento, as principais causas são choques (853), incêndios por sobrecarga (583) e descarga atmosférica (66). Em Mato Grosso foram 30 acidentes com choques e 29 incêndios por sobrecarga. Esses números consideram acidentes em diferentes ambientes, não só dentro de casa.

A orientação para o uso seguro e consciente de energia é uma prática constante da Energisa em Mato Grosso. Victor Hugo de Amorim Oliveira, coordenador de Saúde e Segurança do Trabalho na Energisa Mato Grosso, afirma que é possível evitar acidentes com energia ao tomar algumas medidas. “Um dos principais cuidados é fazer o dimensionamento correto dos circuitos para evitar a sobrecarga da rede e curto-circuito, que dependendo do caso pode evoluir para um incêndio. Usar o dispositivo DR no quadro geral para proteger as pessoas de choques elétricos em caso de fuga de corrente é obrigatório nos projetos de novas construções. Chamar um profissional capacitado para fazer essa avaliação é essencial”, aconselha.

Victor Hugo aponta “erros” básicos cometidos pelas pessoas cotidianamente e que devem ser extintos para evitar acidentes. Um deles é o uso de “T” ou “benjamins” na tomada para plugar vários aparelhos, um erro clássico e que pode resultar em acidentes graves. “As pessoas usam esse adaptador para poder ligar mais de um eletrodoméstico na mesma tomada e sobrecarrega o circuito, que esquenta e pode gerar um curto-circuito e até incêndio dependendo da proporção”, alerta ele ao recomendar o uso de filtro de linha para uso de equipamentos de baixo consumo de energia, pois este possui um fusível, que queima em caso de sobrecarga e preserva os equipamentos e a rede elétrica.

Comprar equipamentos e acessórios de qualidade e certificados pelo Inmetro é muito importante. Cuidados com fios desencapados, na instalação de antenas, em obras e até na poda de árvores devem ser redobrados no ambiente doméstico. Para a poda de árvores que atingem a rede elétrica, o coordenador de Segurança avisa que a Energisa pode ser acionada para realizar o serviço. Basta entrar em contato pelo 0800 646 4196. Ele lembra que as ligações clandestinas (gatos) é crime e oferece grande risco de morte para quem faz. Denúncias podem ser feitas à empresa de forma anônima.

Conscientização para os perigos

Além do trabalho feito pela Energisa de conscientização para o uso seguro da energia elétrica, uma entidade fundada com esta finalidade é a Abracopel. O diretor geral da associação na regional Mato Grosso, Walter Aguiar, afirma que os choques são principais causas dos acidentes elétricos e ocorrem principalmente por negligência das pessoas ao projetar, executar, manter e usar a instalação elétrica. “Isso faz com que Mato Grosso registre aumento significativo no número de acidentes elétricos. Para se ter uma ideia, em termos absolutos, o Estado registrou o número infeliz de 25 mortes por acidentes de origem elétrica em 2019 e 30 mortes em 2020, dentro e fora de casa, enquanto o total de mortes no País reduziu de um ano para outro”, compara.

Para evitar os acidentes nas residências, ele diz que é preciso fazer quatro perguntas básicas: existe sistema de aterramento? Possui no quadro de energia dispositivo diferencial residual (dispositivo DR)? A instalação oferece aos pontos de tomada o condutor de proteção elétrica (terceiro pino)? Os equipamentos com carcaça metálica possuem plugue com terceiro pino? “Se pelo menos uma das respostas for não, há risco de acidente. Mas, se todas as respostas forem sim, a residência é segura”, resume ele.

Walter exemplifica dizendo que o Dispositivo DR é importante porque este é desligado em caso de fuga de corrente e evita um choque decorrente de uma falha de isolação de equipamento. Isso pode acontecer durante o uso de um secador de cabelo, da geladeira, da máquina de lavar ou do chuveiro, aparelhos com maior índice de incidentes. 

Carregador de celular

Outro dado que chama atenção no anuário da Abracopel é o número de acidentes envolvendo carregadores de celulares. Aparelho indispensável no dia a dia das pessoas, em 2017 foram registrados dois casos no país, número que saltou para 41 em 2018, sendo 27 por choque elétrico com 22 fatalidades e 14 incêndios gerados por sobrecarga na instalação elétrica pelo carregador de celular com uma morte. Em 2019 foram 37 registros de acidentes e no ano passado 39. “Essas ocorrências podem ser evitadas com o uso de carregadores originais”, pontua Walter. “Além disso, recomenda-se não usar o aparelho enquanto ele carrega”, acrescenta Victor Hugo.

Dicas de segurança dentro de casa

– Interruptores e tomadas devem ser limpos apenas nas partes externas e somente com o pano seco. Dessa forma, você evita o risco de choques elétricos. Jamais jogue água ou passe pano molhado.

– Evite usar benjamins e extensões para não sobrecarregar as instalações. Utilize adaptadores e multiplicadores nas tomadas para evitar a sobrecarga.

– Utilize protetores plásticos nas tomadas ou substitua as tomadas por modelos mais modernos. Essa dica vale principalmente para quem tem crianças em casa. 

– A chapinha é um item indispensável para muita gente. Utilizá-la de forma correta evita choques elétricos e previne acidentes. Ao sair do banho, não utilize a chapinha com mãos e pés molhados. E lembre-se de não ficar com os pés descalços, use sempre um chinelo.

– Para as antenas, chame um técnico especializado para instalá-la ou consertá-la e escolha um local distante da rede elétrica, pois a simples aproximação das partes metálicas das antenas com os fios pode provocar um choque elétrico. Se a antena encostar nos fios da rede elétrica, jamais tente segurá-la ou retirá-la. Nesse caso, comunique imediatamente à Energisa. Sempre mantenha uma distância de segurança para evitar acidentes.

Fonte: Energisa

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email