ÍconePress

Justiça autoriza produção de prova antecipada contra Sementes Adriana

Alexandre Augustin alega prejuízo superior a R$ 2 milhões em sua plantação de algodão causados pela aplicação de defensivos na propriedade vizinha

O produtor rural Alexandre Augustin, proprietário da Fazenda Santa Alice, conseguiu na Vara Única de Alto Garças, a autorização para a realização de produção de prova pericial antecipada contra o grupo Sementes Adriana, localizada na região de Alto Garças. O pedido deferido pela juíza, Angela Maria Janczeski Góes, trata-se de ação cautelar com pedido liminar para apurar danos causados na plantação de algodão de Augustin, pelo herbicida 2,4-D, possivelmente aplicado na propriedade vizinha.

Na ação, Augustin pede apuração para que seja confirmada suspeita de que o referido defensivo atingiu sua lavoura, por meio da ocorrência da fitotoxidade (reação tóxica que um herbicida provoca nas plantas e que prejudica o seu crescimento de forma drástica), comprometendo significativamente o desenvolvimento e crescimento da plantação, causando prejuízo de aproximadamente R$ 2 milhões.

“No ano passado ocorreu o mesmo problema em outra área de propriedade próxima a minha propriedade. Na ocasião, foi comprovado que os danos causados pela aplicação de defensivos 2.4-D eram oriundos da fazenda vizinha, e que invadiram aquela propriedade, em decorrência do vento e horário que eram aplicados. E mesmo após registro de denúncia perante o INDEA, não foram tomadas as providências necessárias”, Explica Augustin.

Em sua decisão a juíza determinou a realização imediata da coleta de amostra de todas as culturas cultivadas na Fazenda vizinha à propriedade de Augustin, a qual será submetida à perícia. “Advirto que a coleta do material deverá ser realizada por oficial de justiça e assistente técnico indicado pelos autores e determino que seja realizada a medição das áreas de plantio afetadas na propriedade do autor, bem como coletado material afetado na propriedade”, diz trecho da decisão.

Entenda o caso

A propriedade de Alexandre Augustin, de três mil hectares, localizada na região de Alto Garças (distante 361 km de Cuiabá), cultiva algodão e aproximadamente 400 hectares de sua plantação foi afetada pela aplicação do herbicida 2,4-D, possivelmente da propriedade vizinha, que produz soja, e pertence ao grupo Sementes Adriana. Augustin estima um prejuízo superior a R$ 2 milhões de reais e pretende ser indenizado pelos danos.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email